Carreira e Cotidiano

Autoestima, Como vai a sua?

Foto: Érica Rodrigues

Você tem cuidado da sua autoestima? Sabe como a autoestima pode influenciar a sua vida? Você sabe como se forma baixa autoestima?

Muito se fala em autoestima baixa ou alta, sem saber do que exatamente estão falando. Hoje você vai saber um pouco mais sobre esse assunto. Autoestima está relacionada com a imagem que criamos de nós mesmos, o quanto nos respeitamos e o quanto nos valorizamos, inclusive a visão e o modo como enfrentamos a vida.

A autoestima positiva ou negativa é construída a partir das experiências vividas na infância. E está relacionada inicialmente com a maneira que os pais transmitem o afeto, e as identificações. O espaço para ser um individuo aceito e reconhecido, e se expressar sem medo da represália. Assim, os primeiros relacionamentos se estabelecem e servem de espelhos para a vida, envolvendo as crenças, emoções e sentimentos e a maneira como lidam com os comportamentos, a maneira como serão expressados. É vai se estabelecendo a forma como cada um se respeita e gosta de si mesmo, e isso tudo é aprendido. E na vida adulta, no trabalho e nos relacionamentos, se reproduz tudo que foi vivido na infância.

Se você enfrenta a vida com confiança, otimismo e entusiasmo, a autoestima ajudará nos seus relacionamentos, que serão melhores e seus objetivos e planejamentos serão realizados, os obstáculos podem até existir, mas a visão confiante transpõe e avança. Já a baixa autoestima é estar na maior parte do tempo com os pensamentos negativos sobre si mesmo e sobre as situações. Se sentir o tempo todo rejeitado, incapaz e inferior. E sendo assim o seu rendimento está fadado ao insucesso, e os relacionamentos se tornam cansativos e tóxicos, e o planejamento não é uma opção, já que se sente incapaz de qualquer realização. Fique de olho, pois em alguns casos a baixa autoestima pode desenvolver quadros de depressão, então se necessário busque ajuda de um profissional especializado.

A boa noticia é que esse quadro poder ser transformado, e se foi aprendido, pode ser descontruído e reconstruído novamente de maneira mais adequada. Quando você muda os padrões automáticos exercitando o autoconhecimento e auto aceitação, descobrindo as fraquezas, investindo nas fortalezas e desenvolvendo seus potenciais, os pensamentos negativos espontâneos podem até surgir, mas serão mais bem avaliados e por meio do exercício do confronto e questionamentos, poderá ser ponderado e transformado.

Enfim, se conhecer estabelece a autoconfiança, respeito pelas próprias limitações e reconhecimento dos potenciais, e assim é possível enfrentar a vida de maneira leve, e alcançar os sonhos com planejamento e construir relacionamentos saudáveis, inclusive com você mesmo.

Érica Rodrigues

Psicóloga clínica, pós graduada em Psicanálise e Gestão de Pessoas.

Você também pode gostar...