Carreira e Cotidiano

Liberte-se das prisões da mente 2

Foto: Erica Rodrigues

Já se sentiu medo de fracassar, ficou a paralisado e desistiu?

Já chorou, ficou com raiva, brigou e depois, com a cabeça fresca percebeu que não havia nada que você pudesse ter feito?

Já se sentiu culpado a ponto de não raciocinar direito?

Pense comigo, a prisão ela pode ser a física, a liberdade limitada por muros, grades e correntes, e pode ser rompido a qualquer momento, por qualquer pessoa. No entanto se essa prisão for mental somente o próprio individuo pode romper e se libertar. Não há meios de outra pessoa contribuir para a liberdade se o próprio individuo não quiser, se não permite ser levado para outros caminhos e prefere manter seu algoz implacável.

A mente da mesma maneira que cria situações pode ser explorada e alimentada de maneira que contribuía com a Vida. Sim, é um exercício pois os pensamentos automáticos aparecem, mas é possível de varias maneiras ressignificar cada pensamento e melhorar as respostas diante da diversidade.

Refutar o medo, diminuir o isolamento e dialogar sobre o sentimento de culpa contribui para a criação de novas ideias e passagens mais adequadas e saudáveis, tanto para você quanto para as pessoas com quem convive diariamente. O convívio social pode também alimentar algumas prisões mentais como, inveja, rancor e procrastinação.

A INVEJA um sentimento que dependendo da intensidade pode causar dor física e emocional. É originada pela baixa autoestima, achar que o outro é sempre melhor e você o pior. Essas  comparações são incabíveis e inatingíveis, o desejo de ter o que o outro tem, ser o que o outro é, e até desejar que o outro não conquiste algo, não se saia bem, ou até mesmo perca algo que é desejado por você, faz mal a você e ao outro. O sentimento de inveja faz você torcer para o outro não conquiste algo  que você quer, ou você fica triste, com raiva, e até quer se vingar quando o outro conquista o cargo que você queria, ou consegue o objeto tão desejado. Diferente da identificação, onde alguém se torna uma referência, que é um comportamento saudável e inspirador, a inveja é destrutiva da saúde metal e vem acompanhada do comportamento antissocial e dificuldade em sentir prazer.

O RANCOR  é um sentimento tira a paz, deixa você preso e girando e torno da situação que foi dolorosa, revivendo o tempo todo a dor e angustia como se tivesse acontecido tudo agora. Não se permite esquecer, perdoar, e seguir em frente. Vez por outra vai revisitar a dor e por orgulho não busca aprender, tirar uma lição, sobre o que aconteceu, ou buscar a ajuda e tratar esse sofrimento, esse sentimento autodestrutivo. E com o tempo esse sentimento vem acompanhado de desconfiança, incapacidade de perdoar e o desejo de vingança. Gerenciar a raiva, não alimentar pensamentos negativos e ser flexível pode contribuir para sair desse processo rancoroso e você poderá largar a brasa que queima a mão e que você insiste em segurar forte.

A PROCRASTINAÇÃO é a dificuldade de organização e planejamento, de tal maneira que pode prejudicar o andamento da vida. A falta de gestão dos sentimentos, dos pensamentos e consequentemente dos comportamentos trazem pressão e cobrança interna por produtividade, e a não realização dessas atividades geram outros sentimentos desgastantes como ansiedade, estresse e culpa. E vira um ciclo vicioso de ansiedade, tristeza, preocupação, insegurança e sendo assim maior será a dificuldade de gerir sua vida e seus imprevistos. Autocuidado e auto aceitação te ajudam a não procrastinar.

Não permita que sua vida seja limitada por meros pensamentos que movimentam sentimentos, não alimente a negatividade, se precisar de uma pausa e se reorganize. Mas não desista, talvez só mude a maneira de fazer, mas não desista. Na próxima semana falaremos sobre como enfrentar e se libertar dessas prisões mentais. Acompanhe!

Érica Rodrigues

Psicóloga clínica, pós graduada em Psicanálise e Gestão de Pessoas.

Você também pode gostar...