Brasil

Viagens corporativas com sinais de retomada

Por Ministério do Turismo | Governo Federal

Faturamento cresceu 11% no período e injetou R$ 390 milhões na economia nacional

Foto: Arquivo/MTur

O mês de agosto registrou alta de 11% no faturamento do setor de turismo de negócios do país. É o que aponta um levantamento divulgado nesta semana pela Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp). O aumento no índice gerou uma receita de R$ 390 milhões para a economia brasileira e mostra a continuação da retomada do segmento, um dos mais afetados pela pandemia de covid-19.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, destacou a importância da retomada do segmento corporativo e destacou a importância dela para toda a cadeia produtiva do turismo. “Sabemos a necessidade da retomada desse segmento, já que as viagens corporativas dão maior movimento aos hotéis, as empresas aéreas, agências de viagens e o setor de transportes. Além disso, o turismo de negócios reduz a sazonalidade do setor e atrai turistas especializados que podem gastar acima do esperado, resultando em emprego e renda”, pontuou.

Recentemente, algumas cidades e estados do país começaram a liberar a realização de eventos com maior número de pessoas. É o caso da Bahia, que publicou decreto este mês autorizando a realização de atividades com a presença de público de até mil pessoas em feiras, parques de exposições e etc. O Rio de Janeiro foi outro destino que liberou a realização de atividades deste porte, desde que seja limitado em 500 participantes. Em agosto, Belo Horizonte (MG) autorizou feiras exposições, congressos e seminários corporativos com até 800 pessoas.

Dados do Ministério do Turismo apontaram que, em 2019, o turismo de negócios foi o segundo principal motivo da vinda de estrangeiros para o Brasil. Do número total, 15,4% visitaram o país com esta finalidade. Entre os destinos mais procurados estão São Paulo (49,2%), Rio de Janeiro (19,1%), Curitiba (4,8%), Porto Alegre (3,4%) e Brasília (3,2%). O gasto médio per capita, por dia, desses viajantes foi de US 77,39.

SELO TURISMO RESPONSÁVEL – O Ministério do Turismo disponibiliza, desde o ano passado, protocolos com boas práticas de higienização para organizadoras de eventos, centros ou locais de Convenções, feiras, exposições e similares, casas de espetáculos, entre outros. A medida um incentivo para que os consumidores se sintam seguros ao viajar e frequentar locais que cumpram protocolos específicos para a prevenção da Covid-19, posicionando o Brasil como um destino protegido e responsável.

 

Por Victor Maciel |Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Você também pode gostar...